Pendrives Diferentes Seu Trabalho Seguro Décio Segurança Top Segurança Segtrabase Tst Sérgio Profissionais em Seg Trabalho Zona de Risco

Prevenção de Incêndios relacionados com Limpeza e Ordem Geral


Boas práticas de limpeza e ordem geral devem se tornar um modus vivendi (compromisso assumido em relação à limpeza e organização para ter melhor eficiência) sob condições operacionais normais em sua em­presa. Constituem a base de um programa efetivo de prevenção de perdas e devem envolver todos os funcionários. Boas práticas de limpeza e ordem geral incluem descarte de lixo com freqüência regular, limpeza apropriada de depósitos inflamáveis e limpeza cuidadosa de resíduos de processos industriais.

A FM Global aponta que a prevenção de sinistros causa­dos por deficiências de limpeza e ordem geral. pode diminuir significativamente a freqüência e gravidade de perdas.
A manutenção de uma fábrica sempre limpa e arrumada pode significar excelente oportunidade de redução de perdas, tais como;
■ reduzir perdas de patrimônio (incêndio, explosão, etc).
■ evitar interrupções onerosas na empresa (acidentes de trabalho, princípio de incêndio).
■ auxilia a manter a participação no mercado (caso haja incêndio, a empresa poderá perder a participação no mercado devido à interrupção da produção) e conservar funcionários experientes.
■ o aproveitamento eficiente do espaço torna fácil a identificação visual da ocorrência de qualquer anormalidade durante o processo
■ limpeza e arrumação são produtividade quando os pisos da fábrica, os equipamentos são mantidos rigorosamente limpos, mesmo em áreas de difícil conservação de limpeza e tradicionalmente aceita como sujas.
■ limpeza e arrumação são produtividade quando existe um programa regular de revisão e pintura de máquinas ou instalação fabris. Isto possibilita a identificação de vazamento de água, ar comprimido, óleo e vapor, gerando uma atitude participativa do pessoal de produção em relação a cuidados com manutenção do seu equipamento.
■ evitar o risco de ter de se submeter a novas normas de construção que, em alguns casos, podem tornar os custos de reconstrução proibitivos ou exagerados.
■ motivar o funcionário, delegando maior responsabilidade e autoridade.
Um bom programa de limpeza e ordem geral talvez seja a mais simples e, ainda assim, a mais efetiva medida de prevenção de perdas que você possa adotar.

Desafio
Práticas de limpeza e organização inadequadas, combinadas com uma fonte de ignição, podem resultar em um grave incêndio. O acúmulo de combustíveis em locais impróprios pode fazer com que qualquer fonte de ignição não controlável; fumo, fogo criminoso, trabalhos a quente, inflame o combustível.
Em geral, uma vez que muitas das fontes de ignição são necessárias, a limpeza e a organização inadequadas não constituem a verdadeira causa do incêndio. A causa é a fonte de ignição, mas a qualidade da limpeza e da organização determinará a extensão das perdas. Muitos incêndios iniciam pela falta de um programa de limpezas periódicas ou onde elas são feitas com freqüência ou diligência insuficientes.

Como iniciar um programa permanente de limpeza e arrumação?
A fim de obter o melhor aproveitamento em termos de custo-benefício da proteção de sua empresa, você deve avaliar o papel da prevenção (ou com auxílio de um especialista de prevenção de perdas) de limpeza e ordem geral, na estratégia global de gerenciamento de riscos de sua empresa.

Inicialmente, você terá de assegurar as condições básicas de limpeza e ordem geral, as quais incluem descartes imediatos de lixo, limpezas freqüentes e inspeção periódica ( programa 5S).

Devemos lembrar que o incêndio pode ocorrer a qualquer momento, apenas coincidindo ou aglutinando os fatores propícios (concentração elevada de produtos e uma chama) e o processo de encadeamento do fogo inicia-se.
Dependendo da natureza de suas operações e do nível das outras medidas de prevenção e controle que sua empresa possa ter, como proteção por sprinklers automáticos, e do tipo de material que sua empresa abriga, você pode escolher trabalhar em um nível de prevenção mais alto e dirigido.

O nível dirigido demanda o estabelecimento de uma política ativa de boas práticas de limpeza e ordem geral, envolvendo todas as pessoas em sua empresa.
A sua empresa encontrará seu nicho em algum lugar entre o nível básico, de proteção localizada, e o nível dirigido, que demanda mais envolvimento e colaboração. Embora possa não ser necessário em todos os tipos de empresas, o nível dirigido certamente diminuirá o número de perdas.

Resumimos os elementos­-chaves para prevenção de perdas envolvendo limpeza e ordem geral

Limpeza e Ordem Geral

Elementos Básicos
De uma forma geral, mantenha sua empresa limpa e organizada, dê destino adequado e imediato a materiais, assegure manutenção dos equipamentos, comunique problemas e verifique as práticas de limpeza e ordem geral.Os principais tópicos seriam;

Tenha só o necessário, na quantidade certa
Cada pessoa deve saber diferenciar o útil do inútil. Só o que tem utilidade certa deve estar disponível. Eliminando-se o que não é útil, você pode concentrar apenas no que é útil.

Vantagens;
■ reduz a necessidade de espaço, estoque, gastos com sistema de armazenagem, transporte, reduzindo também o potencial de incêndio no local.
■ facilita o transporte interno, arranjo físico, o controle de produção, a execução do trabalho no tempo previsto e
■ facilita a evacuação de pessoas em caso de emergência.

Como praticar?
Quantifique e avalie o que está sendo descartado, respondendo;
O que deve ser jogado fora?
Aquela mercadoria quanto tempo está parado no local, apenas acumulando poeira e espaço?
O que pode ser útil por outro setor?
O que deve ser consertado?
O que pode ser vendido?

Coleta regular e sistemática do lixo de acordo com o requerido pelo tipo de ocupação
O programa deve ser compatível com a velocidade de produção de lixo (cavaco produzido por máquinas, resíduos industriais, etc).
Para cada tipo de atividade ou processo, a empresa deverá analisar que tipo de equipamento a ser adotado, tais como;
■ em caso de cavaco poderá ser varrido ou removido por uma pá ou ser coletado em recipiente e posteriormente retirado do local.
■ pó, vapor, deverá requerer equipamentos de coleta de pó ou de vapor.
■ resíduo industrial, deverá requerer equipamento de tratamento e coleta de resíduos industriais, que posteriormente deverá ser removido para áreas apropriadas (aterro industrial).
Varrer e limpar pisos e superfícies
Evite acúmulo de depósitos, como vazamento oleosos ou gordurosos de líquidos inflamáveis ou combustíveis, metais combustíveis, sujeira e poeira. Tais acúmulos, especialmente na parte inferior de tetos, podem vencer até mesmo sistema de sprinkler com manutenção adequada.
A freqüência da limpeza de pisos e superfícies (equipamentos, paredes, instalações, estruturas de suporte do teto, etc.) será determinada pelo tipo de material que sua empresa abriga.
A limpeza permanente do piso e superfície na fábrica gera no funcionário a conscientização que é possível conservar o seu posto de trabalho limpo e arrumado.

Práticas corretas de manuseio de material (incluindo estocagem)
Há alguma substância, produto, mercadoria, combustível ou inflamável onde não deveria estar ou obstruindo áreas de circulação ou colocando em risco operações ou prédios ou equipamentos?
Mantenha as áreas de circulação sem combustíveis ou outros tipos de produtos e com livre acesso. Cuidado com a estocagem de produtos sob escada (área de circulação) que em caso de incêndio, poderá impedir a evacuação de pessoal.
É comum em áreas de estocagem, o acúmulo de outros materiais (inflamável, combustível, produtos químicos, etc) aumentando os riscos, que em caso de incêndio poderá provocar decomposição de substâncias tóxicas, dificultando o combate ao incêndio.

Durante o pico de produção, a empresa utiliza-se qualquer espaço disponível para armazenagem, tais como;
■ áreas do posto de trabalho
■ mezanino
■ sob escadaria
■ aumentar a altura de armazenagem, ultrapassando as luminárias ou próximas a elas;

provocando os seguintes problemas;
■ alta de área de circulação com livre acesso
■ aumenta o potencial de incêndio na área, esquecendo que o sistema de incêndio foi projetado não levando em consideração esses problemas e além disso não respeitando as normas de segurança.

A localização do contêiner ou da área de depósito de lixo não coloca em risco, operações ou prédios e equipamentos importantes?
Especialmente em áreas de estocagem, o acúmulo de outros materiais pode aumentar os riscos, requerendo medidas adicionais de prevenção e controle de perdas.
Se um incêndio vier a ocorrer, você deve ter certeza de que seu Grupo de Emergência e Corpo de Bombeiros poderão dominá-lo?

Manutenção regular de equipamentos
Uma causa comum de problemas é a falta de ações para prevenir recorrências de vazamentos de líquidos inflamáveis. Da mesma forma, resíduos de combustíveis e poeiras depositados em equipamentos/máquinas/estruturas, podem aumentar e constituir um risco. Boas práticas de limpeza e organização incluem, remoção regular de acúmulos de resíduos e, também, inspeção de equipamentos e de locais inacessíveis. Em vez de esperar pelos problemas, procure preveni‑los ativamente. A limpeza permanente do equipamento possibilita a identificação de quaisquer vazamentos que poderá gerar um princípio de incêndio ou acidente pessoal.

Sistema formal de notificação e informação conhecida dos empregados
Procedimentos formais de notificação e informação ajudam a assegurar conformidade às exigências de prevenção de perdas relaciona­das com limpeza e ordem geral e a identificar áreas que necessitem de melhorias. Os funcionários devem ter um canal de comunicação definido, pelo qual eles possam relatar problemas e riscos potenciais. Esse canal não deve simplesmente existir, mas os funcionários devem ter conhecimento dele e saber como usá-lo. Eles também devem ser conscientes das responsabilidades em limpeza e ordem geral que lhes tenham sido atribuídas.

Disponibilidade adequada de recursos (pessoal e equipamento)
Boas práticas de limpeza e ordem geral começam no nível mais alto da administração.A alta gerência deve demonstrar seu apoio a esse aspecto vital da prevenção de perdas oferecendo recursos adequados para a sua realização. Esse comprometimento deve permanecer forte mesmo durante períodos financeiramente desfavoráveis.

Rápida inspeção da instalação no final do expediente
Isso tanto pode ser feito por um supervisor de área ou ser parte das responsabilidades dos funcionários. Tudo está em ordem para o próximo turno? Procure problemas óbvios, como pilhas de lixo ou resíduos combustíveis, depósitos ou vazamentos inflamáveis. Certifique-se, que os corredores nas áreas de estocagem estejam livres e acessíveis.
Verifique também que não haja fontes de ignição capazes de inflamar combustíveis próximos.

Elementos Dirigidos
Além dos elementos básicos de prevenção de perdas, solicite auditorias em seu sistema de limpeza e organização, corrija problemas, converse sobre limpeza e organização com seus empregados e dê apoio ao seu sistema. Envolva todos os funcionários. Veja paralisações no sistema como oportunidades para melhorá-lo.

Todos os elementos básicos, mais:
Revisão de relatórios periódicos de inspeção para verificar a conformidade. Gerentes de áreas onde forem encontradas infrações são responsáveis pelo desenvolvimento de um plano de ação corretiva para eliminar novas ocorrências

Relatórios periódicos de inspeção podem revelar áreas problemáticas quanto à limpeza e ordem geral. O objetivo dessa informação por escrito não deve ser encontrar e punir o culpado, e sim, a criação de uma base de dados que lhe indicará onde e quando ocorrem problemas.
■ Por que há constante acúmulo de lixo neste canto?
■ Não há recipientes disponíveis?
■ Por que sempre há depósito de óleo perto de determinada máquina?
■ Há vazamentos que devem ser consertados?
■ Use o relatório periódico de inspeção como uma ferramenta para ajudá-lo a solucionar problemas.

Existência de linhas de comunicação para relatos e feedback
A gerência deve ser receptiva a considerações de empregados sobre prevenção de perdas e deve responder quando um funcionário apresenta um problema ou sugestão para melhoria. A gerência também deve manter um procedimento formal para revisão de relatórios periódicos de inspeção.

Apoio e participação constatados dos funcionários em relação a boas práticas de limpeza
Se os funcionários não tiverem um sentimento de propriedade em relação aos seus departamentos ou instalações, eles poderão desprezar ou ignorar problemas de limpeza e ordem geral. Os supervisores podem precisar encorajar boas práticas de limpeza e organização insistindo para que os funcionários joguem o lixo nos contêineres apropriados. Certifique-se, que os empregados entendam que boas práticas de limpeza ajudarão a prevenir perdas e a preservar seus empregos. Uma certa empresa gratifica funcionários por bons hábitos de limpeza e ordem geral com um prêmio mensal ao departamento mais limpo e melhor organizado.

Política da empresa
Um programa de limpeza e arrumação para ser eficaz tem que se desenvolvido de forma permanente estabelecendo novas metas, à medida que as anteriores forem atingidas. Entretanto, o programa deverá contar com total apoio da diretoria, pois ele é a base da produtividade e qualidade. A essência desse programa é que a empresa desenvolve uma nova cultura, eliminando os desperdícios que oneram os custos da empresa.
Análise inicial
Na análise de suas instalações utilize o questionário abaixo, para avaliar a sua situação e para ajudá-lo a decidir quais as mudanças que são necessárias.

Elementos Básicos
■ Coleta regular e sistemática de lixo de acordo com o requerido pela ocupação
■ Varrer e limpar pisos e superfícies
■ Práticas corretas de manuseio de material (incluindo estocagem)
■ Manutenção regular de equipamentos (óleo, poeira, sujeira)
■ Sistema formal de notificação e informação conhecido dos empregados
■ Disponibilidade adequada de recursos (pessoal e equipamento)
■ Rápida inspeção da instalação no final do expediente

Elementos Dirigidos
■ Todos os elementos básicos mais:
■ Revisão de relatórios periódicos de inspeção para verificar conformidades. Gerentes de áreas onde forem encontradas infrações, são responsáveis pelo desenvolvimento de um plano de ação corretiva para eliminar novas ocorrências
■ Existência de linhas de comunicação para relatos e feedback
■ Apoio e participação constatados dos funcionários em relação a boas práticas de limpeza

Elementos Adicionais
Detalhe que elementos adicionais – dirigidos, às suas necessidades específicas - seu programa deve conter:

Fonte: FM Global e Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas)

Cursos Online Gratuitos


A Fundação Getulio Vargas é a primeira instituição brasileira a ser membro do OCWC (Open Course Ware Consortium), o consórcio de instituições de ensino de diversos países que oferecem conteúdos e materiais didáticos de graça pela internet.

Veja as opções abaixo.
Tópicos temáticos introdutórios na área de Gestão Empresarial - carga horária de 5h

Balanced Scorecard (novo!)

Conceitos e Princípios Fundamentais do Direito Tributário (novo!)

Consultoria em Investimentos Financeiros - Intermediação Financeira (novo!)

Direito do Trabalho - Contratação do Trabalhador (novo!)

Fundamentos da Gestão de Custos (novo!)

Gestão de Pessoas - Motivação nas Organizações (novo!)

Processo de Comunicação e Comunicação Institucional (novo!)

Estratégia de Empresas - Introdução à Administração Estratégica

Gestão Ambiental e Desenvolvimento Sustentável - História da Questão Ambiental

Gestão de Marketing - Produto, Marca, Novos Produtos e Serviços

Gestão da Tecnologia da Informação - TI nas Organizações: Estratégia e Conceitos

Técnicas de Gerência de Projetos - Gerenciamento do Escopo do Projeto

Tópicos temáticos introdutórios na área de Metodologia - carga horária de 5h

Metodologia de Pesquisa - Conhecimento, saber e ciência

Metodologia do Ensino Superior - Universidade e Sociedade

Cursos em áreas de conhecimento diversas - carga horária de 15h

Ciência e Tecnologia

Diversidade na Organização

Ética Empresarial

Recursos Humanos

Cursos para professores do Ensino Médio - carga horária de 30h

Filosofia

Sociologia

Para se cadastrar e ter acesso aos Cursos:  http://www5.fgv.br/fgvonline/Cursos15Horas.aspx

Procedimentos de segurança na utilização de andaimes


1.0 - OBJETIVO: Estabelecer procedimentos seguros para montagem, desmontagem e utilização de andaimes, em serviços de manutenção nas áreas da fábrica.

2.0 - APLICAÇÃO:
Este procedimento se aplica à montagem, desmontagem e utilização de andaimes pelos funcionários da fábrica ou de firmas empreiteiras, que estejam realizando serviços de manutenção em qualquer área da fábrica.

3.0 - CONCEITO:
3.1 - Andaimes simplesmente apoiados: São aqueles cuja montagem é efetuada com travessas metálicas de encaixe ou com tubos e braçadeiras, utilizando pranchas de madeira apoiadas sobre a estrutura do andaime, no nível onde será executado o trabalho.

4.0 - UTILIZAÇÃO DE PRANCHAS:
4.1 - As pranchas de madeira devem possuir encaixe para prevenir o deslizamento das mesmas sobre a estrutura do andaime, devendo ainda ser amarradas, como medida de prevenção de acidentes.
4.2 - Fica estabelecido que a espessura mínima das pranchas de madeira será de 30mm (trinta milímetros).
4.3 - Devem ser colocadas no nível de trabalho quantas pranchas forem necessárias para preencher toda área livre, não permitindo que represente riscos de acidentes para as pessoas que trabalham no local.
4.4 - Toda a área em volta do andaime deve ser isolada, observando-se um raio seguro, de forma a proteger as pessoas que passam nas proximidades, de queda acidental de peças, parafusos, ferramentas, etc.
Obs: As pranchas deverão ser confeccionadas em madeira de boa qualidade, sem rachaduras, não devendo ser pintadas.

5.0 - PROTEÇÃO LATERAL:
5.1 - A proteção lateral para o funcionário no nível do trabalho é obrigatória e deve ser prevista para todos os andaimes montados.
5.2 - A proteção lateral poderá ser excluída na face do andaime voltada para o local de trabalho, desde que a condição permita.
5.3 - Para os andaimes cujo nível de trabalho esteja até 1 metro do solo, a proteção lateral poderá ser feita com cordas.
5.4 - Para os andaimes cujo nível do trabalho esteja acima de 1 metro do solo, a proteção lateral deve ser metálica, utilizando-se as próprias peças do andaime (travessas de encaixe ou tubos com braçadeiras).

6.0 - ACESSO AO NÍVEL DE TRABALHO:
6.1 - É permitido o acesso utilizando a própria estrutura do andaime, quando o nível de trabalho esteja até 1,50m (hum metro e meio) do solo.
6.2 - Para andaimes com nível de trabalho acima de 1,50m (hum metro e meio) do solo, o acesso deverá ser feito utilizando escada montada no próprio andaime, com tubos e braçadeiras.

7.0 - ESTAIAMENTO DOS ANDAIMES:
7.1 - Será necessário o estaiamento do andaime, quando o mesmo vier a ser utilizado como apoio de cargas pesadas, que necessitam de utilização de equipamento de carga.
Neste caso, o andaime deve ser estaiado em quatro pontos, a 90° (noventa graus).

8.0 - APOIO NO SOLO:
8.1 - Não será necessário o uso de sapatas para os andaimes montados sobre pisos pavimentados e destinados apenas para o uso de pessoas ou cargas leves. (ferramentas, peças de pequeno porte, etc.).
8.2 - Para andaimes montados sobre pisos sem pavimentação, devem ser colocadas sapatas metálicas adequadas.
8.3 - Caso o andaime venha a ser utilizado para apoio de cargas pesadas que necessitam da utilização de equipamento de carga para movimentação, as pranchas e as sapatas devem ser dimensionadas em função do peso a suportar e a resistência do solo.

9.0 - DISPOSIÇÕES GERAIS:
9.1 - Os andaimes não devem possuir inclinação em relação ao piso.
9.2 - Para efeito de nivelamento dos andaimes, deverão ser utilizadas sapatas ajustáveis.
9.3 - Os serviços específicos ou montagens, que necessitem a utilização de recursos técnicos especializados, quanto a andaimes de grandes alturas ou apoio de cargas pesadas, devem ser acompanhadas de um planejamento e cálculo estrutural adequados.
9.4 - A montagem de andaimes e o acesso aos mesmos devem ser permitidos apenas a funcionários que tenham conhecimento e estejam habituados a este tipo de trabalho.
9.5 - A amarração dos andaimes em estruturas próximas ao local de montagem dos mesmos é obrigatória em todos os casos.
9.6 - Este procedimento passa a fazer parte integrante dos contratos de prestação de serviços das empresas que atuem na área da fábrica.

Manual de Segurança de Andaimes


Regras Gerais

1. Efetuar isolamento físico da área em torno do andaime, a fim de evitar circulação de pessoas e/ou veículos.

2. Andaimes do tipo tubular devem ser usados preferencialmente e deverão ser montados por pessoal treinado.

3. Andaimes de madeira ou andaimes suspensos, somente serão permitidos, medi-ante a autorização da supervisão do serviço e da Segurança do Trabalho.

4. Andaimes sobre rodas, só poderão ser usados em áreas com o piso plano concretado ou asfaltado, com possibilidade de livre deslocamento e não poderão exceder a altura de 5 metros. As rodas devem ter no mínimo 15 cm de diâmetro e estarem travadas todo o tempo em que o andaime não estiver sendo deslocado.

5. Os andaimes com rodas não poderão ser movimentados em hipótese alguma com pessoas ou ferramentas sobre a plataforma.

6. Estes andaimes não devem ser utilizados como ancoragem para levantamento de equipamentos.

7. Os andaimes não devem ser modificados de modo que tenham suas resistências prejudicadas. Não será permitido usar andaimes de tipos diferentes.

8. Os pranchões dos andaimes (plataforma) deverão ter espessura mínima de 1 po-legada (3,5 cm.) largura de 30 cm. Devem ser de madeira de primeira qualidade e sem defeitos, ocupar todo o espaço da plataforma. Esses pranchões devem ser travados por meio de batentes, colocados na face inferior.

9. Os pranchões de madeira utilizados não poderão ser pintados.

10. Todas as plataformas deverão ter seus lados expostos protegidos por guarda corpo.

11. Os Andaimes devem estar apoiados sobre pisos firmes e rígidos. Os desníveis do terreno deverão ser compensados pela utilização de parafusos ajustadores e nunca por calços improvisados.

12. Em pisos não rígidos, deverão ser usados pranchões sob a base do andaime a ser nivelado.

13. Todos os andaimes e suas partes integrantes devem ser inspecionados antes de cada utilização.

14. Especial atenção deve ser dada aos pontos de solda e encaixe. Peças danificadas devem ser substituídas de imediato.

15. A subida em andaimes deve ser feita por escada externa ou degraus de tubo do próprio andaime.

16. Os andaimes deverão ser amarrados com cabos e/ou cordas a cada 3 metros de altura, a partir do segundo lance.

17. Os andaimes deverão ser contraventados (barra diagonal) a cada 3 metros a partir do solo.

18. Não devem ser jogadas ferramentas ou peças para a plataforma do andaime ou vice-versa.

19. Quando usar ferramentas elétricas ou pneumáticas, amarrar os cabos ou man-gueiras no próprio andaime.

20. Os andaimes devem ser galvanizados ou pintados de amarelo.

21. Os andaimes e as pessoas que nele subirem não poderão ficar a uma distância inferior a 2 (dois) metros de uma linha elétrica de alta ou baixa tensão energizada, (isolada ou não).

22. As pessoas que nele subirem deverão utilizar cinto de segurança, cabo guia e/ou
trava-queda.

23. Além destas normas, devem atender as especificações da Norma Regulamentadora NR 18, Parágrafo 18.9.
Ocorreu um erro neste gadget

Seguidores